Depois


Depois de um tempo

A gente sente

Se não, ouve

do vento.


é coisa de senso

mas sentir a alma

vai além

do que penso.


quando eu te vejo

sinto tuas marcas

deslizando

minha pele

marrom, cheio

de desejo.


tem coisas

que eu carrego;

decido, ou

só vejo


depois,

depois eu só quero

deitar no teu peito

e ouvir teu coração.



Verdes demais


Ar de esperar

Sem ter,

A chance de escolher.


Repouso,

Observando a criatura

Desunir suas estranhas

Convicções,

Indesejadas.


por orgulho ?

as vezes,

só as vezes

eu sentia.

era suave,


mas afirmo

que esperança

me trazia

os seus abraços e

com segurança.


pois neles eu acreditava que tudo ia passar. era

menos doloroso.


eu acreditei.



Gananciáveis desejos



Cheirava.


Um ar puro.


So de ouvir

O som

De sua voz


sentia tesao.


era inacreditável.


meu corpo

parecia

vulcão


e você

ah você

me fazia

me sentir

forte e corajoso


e por isso

meu corpo

desejo você


incontrolavelmente desejava teu corpo sobre o meu.



Peixes



Irei me afogar

E preciso.


Me sinto

Tão intenso

que a imensidão

do teu corpo

me faz desacelerar,


e é isso,

inevitável como

doce de brigadeiro


como a música

de Cazuza

enfeitando

uma cena romântica

e linda.


Como

Ouvir o vento

O mar, Terra

E ao mesmo,

Tempo


Me entregar

Sem sombras de dúvidas

Alguma

pra tu.


te acolher

e fazer você

confiar

no meu abraço


te fazer

me desejar

e vibrar


com essas intuições

que me levam a cogitar

deixar tudo

como está,


e em seguida


eu saio

correndo por ai

desvalida.

Arruinada


Completamente perdida;


De quem eu realmente

Era,

Enquanto eu não resistia

E me entregava

Deliberada e apaixonada

por você.


vai saber

(eu dizia

caminhando por ai

sem rumo )


só caminhava.


admirando

as estrelas

em uma noite


eu pedia

com toda força

que,

por fim


essa paixão chegasse

ao ponto “x”


eu não aguentava mais

sentir suas

cicatrizes;


que colidiu-se.


e me abandonou ali,


mas eu aprendi a seguir,

eu , no fim sempre

aprendo a seguir.


acostumei com esse fogo no oceano sem fim.

doer até doeu, mas aprendi.

Biografia


Arthur Voiterk, nascido em Itabira do Mato Dentro, a cidade do poeta Carlos Drummond Andrade, estudante de educação física, escritor e atualmente morando em Belo Horizonte. Tem 26 anos, apaixonado por artes, literatura e tudo que envolve educação e cultura. Instagram: @arthurvoiterk


Arthur Voiterk: poeta mineiro.

ENVIE SEU TEXTO! | Regras


Os interessados deverão enviar os poemas para giovanimiguez@gmail.com seguindo as seguintes orientações:


1. enviar, em arquivo word com até três poemas, um conto ou uma crônica de no máximo uma pagina cada, fonte Arial 12, paragrafo 1,5.


2. no final dos uma biografia de até 5 linhas, informando o seu perfil no Instagram.


3. anexar ao e-mail uma foto sua na horizontal.


4. deve constar no assunto do e-mail informações no seguinte formato: "Umanisté blog - Submissão de texto autoral - Nome".


5. Você poderá enviar até dois textos em cada gênero, desde que estejam cada texto em arquivos separados.


Será um prazer conhecer e divulgar seu trabalho autoral!


#poesiabrasileira #escritaautoral #poetamineiro

pelos dez anos de cárcere


Longe, muito longe,

uma luz vem atravessando

a escuridão.

É uma estrela morta

ainda nos iluminando

com seu clarão.


Eu, como um monge,

à soleira da minha porta

estou contemplando.

A estrela já morreu

e, morta, ainda resiste.

Mas, e eu?


Não estou morto,

apesar de estar morrendo

aos poucos.

Aprisionado,

vou perdendo luz, sendo,

aos poucos, apagado.


por Giovani Miguez, em Poemáticas.


Foto ilustrativa

I.


Tropeço em

vírgulas, retiro

teu ponto final.

E, sobre ti, espalho



II.


É justaposição,

quando o beija-flor

beija a flor.

Quero um amor aglutinado.


...

Mayanna Velame é formada em Letras – Língua Portuguesa / UFAM e vive na cidade de Manaus. É autora do livro Português Amoroso. Escreve periodicamente contos, crônicas e poemas para os sites literários: Texto de Garagem, Revista Vicejar, Conexão Literatura e Corvo Literário.



Mayanna Velame, poeta amazonense.


--


ENVIE SEU TEXTO! | Regras


Os interessados deverão enviar os poemas para giovanimiguez@gmail.com seguindo as seguintes orientações:


1. enviar, em arquivo word com até três poemas, um conto ou uma crônica de no máximo uma pagina cada, fonte Arial 12, paragrafo 1,5.


2. no final dos uma biografia de até 5 linhas, informando o seu perfil no Instagram.


3. anexar ao e-mail uma foto sua na horizontal.


4. deve constar no assunto do e-mail informações no seguinte formato: "Umanisté blog - Submissão de texto autoral - Nome".


5. Você poderá enviar até dois textos em cada gênero, desde que estejam cada texto em arquivos separados.


Será um prazer conhecer e divulgar seu trabalho autoral!


#poesiabrasileira #escritaautoral #poetacearense