a vida era vazia.

nem as cavalgadas

eram capazes de preencher

tanta falta de poesia.

a terapia com cavalos,

mostrou-se ineficaz

para o rapaz.

um dia,

sob um pessegueiro

resolveu tirar um cochilo

e, enquanto dormia,

o cavalo assustou-se

com um esquilo e, em

disparada,

rumo ao desfiladeiro,

não encontrou parada

e deu seu salto

derradeiro.

o rapaz,

não aceitou o destino,

e, em desatino,

demonstrou

seu amor ao amigo

equino

saltando do abismo,

aproveitando a desculpa

para esconder a culpa

que ele carregou

e agora jaz...


#giovanimiguez

#sigaapoesia




SILÊNCIO

na Biblioteca Raul de Leoni


o silêncio deveria

ser algo tão sagrado;

assim, o pensar seria

só seu, segredo.


22.10.2021


RAIAR


noite

termina

quando

dia

germina


MANIA


essa mania

de buscar intimidade

no fluir da poesia,

nas amenidades

do dia-a-dia,

faz minha humanidade

ser mais sadia.


23.10.2021


ESMOLA


do óbulos

de viúva


na igreja

enche-se a


vulva


24.10.2021


RESISTIR


o desejo

é partir


mas não

me agrada


desistir


BORBULHAS


poética

que

mergulha

na

ontologia

borbulha


BANALIZAR A POESIA POETIZAR A VIDA


há quem diga que esse jorrar poético que me toma e transborda é banalizar a poesia. mas, penso que trata-se mesmo de uma desesperada tentativa de poetizar a vida. vejo poesia em coisas que habitualmente são antipoéticas, o desafio é ser poético sem assumir um romantismo patético.


25.10.2021


#giovanimiguez

#sigaapoesia




a Nuno Félix da Costa, por Pequena Voz


é na filosofia

que o método se sobressai;

na poesia,

importa mesmo o sentir

que, verso a verso,

se esvai.


ainda assim,

o poeta e o filósofo,

dentro de mim,

brigam para saber

quem vai acender

o fósforo

do meu saber.