A poesia que há

se há na poesia

alguma utilidade real,

talvez seja a de transformar

o deserto árido da existência humana

em um oásis de pura magia,

em um acalento verbal.


se há na poesia

possibilidade de no mundo atuar,

talvez seja não sendo leviana

e entregar-se com cortesia

ao mundo que quer transformar.


se há na poesia

necessidade de construir,

talvez seja elevando o poeta

a um crítico da burguesia.


talvez seja a poesia,

um modo nobre de agir

nesse mundo por destruir.


e se a poesia

no fundo só pode expressar?


que não deixe de criticar!


- Do livro Animal Poético, Ed. Multifoco, p. 19.




6 visualizações