Afetos: insigths introdutórios

Pessoal,


Acabo de finalizar a escrita do meu quinto livro - Afetos e outras memórias poéticas - que, infelizmente, só será publicado em 2021.


Entretanto, gostaria de deixar para vocês algumas frases que estarão compondo a introdução do mesmo:


PALAVRAS SOLTAS


A poesia é a consciência. O poema é o corpo. O poeta, a existência.
A poesia precisa brotar, como mina d'água, para poder desaguar em um poema.
Às vezes, a poesia seca e é preciso dar um tempo para que ela volte a irrigar o solo da nossa consciência
Às vezes acordo com sensação de que toda minha poesia é lixo retórico, sem valor estético.
Outras, com a certeza de que é registro histórico, sem qualquer relevância, mas ainda assim dou a ela toda importância, pois e parte de mim.
Que seja assim, apenas registros de meu caminhar para o fim, sem pretensões. Apenas meus senões.
Ainda assim escrevo, pois escrever me transforma e só isto me basta.
Um dia minha poesia será a cartografia desta minha agonia.

***

O que acharam?


Enquanto isso, você pode ir se deliciando com os meus outros livros, disponíveis para venda em: umaniste.blog/leitura


Passa lá!


G.Mgz.


Ah! Você pode ajudar compartilhando este post, curtindo e comentando. Desde já, minha gratidão!





0 visualização