de Clarice

na companhia de Alfredo Bossi


li cartas, contos e crônicas

li Água Viva

tão clara sua poética

suas palavras lacônicas

sua estética

única

uma dádiva.


quando li Clarice

senti uma fúria avassaladora

como se o mundo novo se abrisse

para sua prosa poética

fundadora

de um salto entre o psicológico

e o metafísico.


é profunda

sem aprisionar no factual

insólita

na sua consistência

em entregar-se ao caudal

à consciência.


( por Giovani Miguez, em Restauros )



10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo