Enredado

Da rede da minha varanda imagino dias que estão por vir, amigos aliviados a sorrir, crianças brincando de ciranda. Daquela rede vejo o futuro, um mundo transformado por esse violento tornado, um mundo mais maduro. Será um dom premonitório a nos libertar deste sanatório? Sei que não, mas quero acreditar. O caos que nos assola parece que nos controla e nos impede enxergar.