Espreita

uma coruja

sobre o pau da cerca,

toda suja,

com olhar atento

cerca

o desatento

rato.


o pequeno roedor,

caminha pelo corredor

da morte

sem saber que estava selada

sua sorte

na noturna caminhada.


sob a fria caruja,

no rasante da ave

o rato corre, mas é tarde

o ferimento foi grave,

agora arde

nas garras da coruja.


( por Giovani Miguez )





2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Duelo