Expurgo

O medo de morrer

foi aos poucos dando lugar

ao medo de viver

com tanta dor a expurgar.

Dias sendo vencidos,

abraços sendo negados,

pobres esquecidos,

negligenciados.


O medo que nos paralisava,

os corpos doentes

que, aos poucos, anunciavam

o ovo da serpente

que, silencioso, se depositava

na nossa mente

e nos transformava

em indolentes.


Era necessário expurgo,

tomar as ruas,

ocupar o burgo,

enterrar nossas inócuas

pretensões, ser resolutos

e com toda forma bradar:

não vamos mais aceitar

este lugar de luto!


( em 29 de maio de 2021 )


por Giovani Miguez, em Poemática.



Foto de Pedro Rocha / Manifestações contra o Governo Bolsonaro, RJ, em 29/05/2021.


#poesiafluminense #poesiabrasileira

#giovanimiguez #sigaapoesia

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Fletir