Imensidão infantil

O menino que desenha, da pandemia desdenha. Há na sua inocência uma gigantesca ciência, uma metafísica plena que emerge da sua mente intensa, serena, imensa! ⠀ Na sua metafísica inocente, o menino com traço rente desenha seu instante, zomba do que lhe é distante, encara toda aquela situação ignorando qualquer sentimento, pois vive aquele momento repleto de imensidão. ⠀ Em seu insistente desdém pela melancolia, em sua persistente zombaria daquela pandemia o menino é sábio, intenso, não desperdiça nenhum vintém empenhando seu imenso gosto pela alegria.

( para o Clube Poético )



0 visualização