Instauremos o futuro

( crônica )


O futuro sempre chegará, não importa se não seremos nós os que irão desfrutar dele. O fato é que Clarice Lispector, em Água Viva, estava certa: “A invenção do hoje é meu único meio de instaurar o futuro”. E o hoje, esse instante, é a única coisa que temos de real. O passado é memória. O futuro, expectativa. Mas, o presente está aqui vivo, pulsando e pedido para ser inventado. Tenho apenas dúvidas sobre a liberdade que nos é dada para inventá-lo. Sei que temos, mas em que grau é essa a minha grande questão existencial.


Sem apegos. Um dia de cada vez.


Enfim, o futuro chegará e isso é certo. De um jeito ou de outro o planeta terá um amanhã, mesmo que a humanidade ou nós, individualmente, não o tenhamos. E, muitos de nós, estamos fazendo um grande esforço para boicotar nosso amanhã. Alguns, mais ousados, boicotam até o futuro da humanidade. O planeta, entretanto, a mãe Gaya, essa é mais dura na queda. Dizem que um dia, num futuro distante, quando não estivermos mais aqui, ela ainda estará e se reinventará a despeito de nós, ciscos passageiros sobre sua superfície.


O fato é que esse futuro incerto é consequência de um presente que foi inventado por um passado conhecido. Não podemos nos projetar no futuro, ao menos não com tanta certeza. Mas, temos alguma possa do nosso passado, ainda que as memórias estejam sempre corrompidas seja por nossas experiências ou pelas nossas expectativas quanto ao incerto.


É assustador, eu sei! Mas, somos animais que, apesar da capacidade de planejar e criar em alguma dimensão, estamos imersos em mistérios e incertezas. Ou especulamos através da filosofia, construímos utopicamente através da ciência ou vivemos distopicamente através das distorções e contradições da nossa conturbada humanidade.


Mas, o futuro sempre chegará. Devemos, portanto, investir na construção do único meio real de garantir o amanhã: o hoje. Viver cada instante tentando não se afundar nas memórias ou flutuar nos devaneios provocados pelas expectativas. Cabeça no céu, olhando o futuro, mas pés firmes no chão caminhando rumo a ele sem nunca deixar de contemplar as flores e desviar das pedras e espinhos do caminho.


Sem apegos. Um dia de cada vez.


por Giovani Miguez

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo