Lamento do poeta


eu me pergunto:

onde errei?


em qual esquina

me perdi?


em qual momento

eu me desviei?


só queria poder voltar

ao ponto partida.


o que fiz

da minha vida?


deixei de lado todos

os meus anseios

por alguns tolos

devaneios.


enterrei meus projetos

por uma certa ilusão

de que a vida boa mesmo

não tem decepção.


mas, como me enganei!

quando meus sonhos enterrei

bem lá dentro de mim

um monstro eu criei.


por minha falta de coragem,

por minha tola covardia

fui devorado, maltratado...

e agora só me resta a poesia.


nos meus versos,

me regenero, me retrato,

cultivo meus universos

em ricos substratos.


(23.02.2020)




0 visualização