Minha poesia

Não espere

belos retratos.

Não se desespere

com minha poesia.

Eu sei, é dolorida.

Meus extratos

de melancolia

são versos

perversos.

Ainda assim,

espero, belos.

Como a vida,

tão bela

tão perversa.

Eis a nobreza

da minha poesia:

verter dor

em beleza,

em amor.




5 visualizações