No sangrar, decanto


Quando sangro,

algum poema decanto,

tentando aliviar a dor

deste cancro

que, mais morto que vivo,

levo, dizendo ser vida,

mas sem nenhum

ardor.


Por favor,

não leve a mal

tanto eufemismo,

meu mau humor

não é sinal

só da maldita dor

que sinto,

do meu pessimismo.


Por isso, se o sangue

escorre,

não se zangue,

pois é no sangrar

que meu meu verso

socorre

meu universo

que morre.


por Giovani Miguez, em Poemáticas.




1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Filosofema