Os Contos Maviosos de Giovani Miguez: NEM TE CONTO E OUTROS CONTOS

por Silas Correa Leite*


Breve Resenha Crítica:



"Escrever é um ato de sobrevivência." - Eduardo Subirates

Com voz toda própria, peculiar e envolvente, o literato Giovani Miguez extrapola o campo da poética, e esparrama pelo chão da prosa de primeira qualidade. O escritor se apresenta: “... poeta, filosofante e socialista, autor de “Em terceira pessoa e outros poemas” (Outra Margem, 2021). Geralmente acordo ruminando as inquietações do dia anterior. Algumas vezes inquietações que ganham formas oníricas(...)”. Eis o ficcionista se inaugurando assim. Ei-lo também num poema recente, poeta contemporâneo de verve que é:


A última vaidade

em memória de Ricardo Tibães Lass


Apesar de trágico, teu ímpeto

foi corajoso e permitiu-lhe a última vaidade

para conter a dor que te dilacerava.

No fim, foi só amor tentando aplacar a dor.

Amor... Afinal, era a amorosidade a tua

especialidade existencial.

Apesar de triste, entendo seu ato derradeiro.

Não te julgo, apenas espero que o tempo

conforte os teus desse jugo.

Foi brutal em qualquer sentido que se analise,

mas não seria o viver, também brutalidade

que enseje o deslize?

Só quem vive sem vontade de viver,

entende a coragem de quem escolhe

abraçar o ímpeto de morrer...


---





Pelo dito, falar do poeta é chover no molhado, e, brincando de dizer, sabemos que quem sai na chuva ácida é para se queimar, portanto, mudemos de tom. Falemos da prosa posuda de Giovani Miguez, que ora lembra Nelson Rodrigues, ora lembra Osvaldo França Junior, como toques de Jamil Snege e mesmo de Rubem Braga, mas um esmerado toque todo seu, sintaxe toda própria.


Quinto livro de Giovani Miguez, macaco velho nas redes sociais, nesta obra o editor Ni Brisant salpica na orelha dois, nominando-o assim: “Entre a memória e as invenções de Giovani Miguez, cada história vai nos convencendo e atravessando, seja através dos relatos de derrotas íntimas ou das amplas contradições cotidianas(...)”. Gestor Público, com ênfase em Políticas Públicas, especialista em Sociologia, Mestre e Doutorando em Ciência da Informação, Giovani Miguez assenta, delata, registra, toca o colmeial de palavras em prosa saradinha, gostosa de ser nele e se ler nelas, com a chamada mágica mão em narrativas de se pegar com as palavras e passear com elas, por elas, e em nelas...


Júlio Cortázar (1914-1984) muito bem sintetiza o conceito de conto de Poe: “Um conto é uma verdadeira máquina literária de criar interesse”(...). “O conto é uma arte sintética, que trabalha com a seleção”(...). “O romance vence sempre por pontos, enquanto o conto deve vencer por nocaute”.


Os contos de Giovani Miguez têm essa premissa, contar, pura e simplesmente, num olhar fecundo e sensível de tentar compreender a vida, as vicissitudes da vida, desamparos, acolhimentos, dissabores, num olhar até, aqui e ali meio poético, romântico que seja. Mas, antes de tudo bem ético-humanista, feito uma máquina em lambe-lambe colhendo imagens e palavras, situações e conflitos, sempre assim, trocadilhando, na primeira pessoa de si mesmo, como um recolhe; refabulando virtudes, essências e situações humanas nesses tenebrosos tempos de muito ouro e pouco pão.


Sendo CONTO uma narrativa que cria um universo de seres, de fantasia ou de acontecimentos, NEM TE CONTO E OUTROS CONTOS enreda as teias da vida, os arames e armações de percurso, no teatro às vezes ordinário dessa vida dura de se lidar, dura de se levar, mas de se apanhar seus limites, incompletudes e afins, para registrar tudo, documento de época, tempo, espaço e lugar, como nesse livro em que o autor se afirma, se apresenta e sai-se bem, porque escrever é seu oficio, como diria Millôr, sua “pá-lavras”.


“"São ficções, descrições e escrivinhações do meu espanto, mas recheadas de lembranças, em parte da infância e da primeira parte da minha vida, onde foram gestadas as inquietações que me tornaram escritor”, diz o site do livro, apresentando a obra.


Escrever e criar, é só começar? Para Giovani Miguez é um deleite. Que nos encanta, e nos aproxima ainda mais do chamado outro humano em nós.


Bravo


-0-


Link para comprar o livro

"Nem te conto e outros contos"


---




* Professor, Jornalista, Conselheiro em Direitos Humanos, Escritor membro da UBE-União Brasileira de Escritores, autor, entre outros de CAVALOS SELVAGENS, Co-edição da LetraSelvagem (SP) e Kotter (PR) Editoras, sexto romance do autor, no prelo. Contatos com o autor: poesilas@terra.com.br


4 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Não-agir