Priscilla Silva, poemas

Deixas


Deixei na varanda

Deixei

Mais de mil lembranças.

Deixei na varanda...


Que o vento leve

Cada pedaço dos papéis picados

Promessas murchas que não reguei

Que leve os boletos vencidos

- minha alma pobre

Quem sabe, não leve o que me restou: a comida fria,

A roupa manchada, a foto guardada

O coração em cinzas.


Deixei

Na varanda

Esta pequenina esperança

Partir.


Pois na casa, que fique a mobília nova a ser arrumada

Fique espaços vazios

Fique o completo silêncio

Até que ele também se parta.

E o que não me cabe

Deixei

Na varanda

P'ra o lado de fora da alma.



Sobre um poema perdido.


Perdi um poema ontem, não sei como, mas o perdi

Fucei em cada canto da casa,

Em cada canto da alma.

Exigi da minha memória que me dissesse onde estava

- Batalha vã.

Tive que aceitar, sob protestos, que o perdi.

De fato, haverá de tê-lo perdido

- Pobre de mim!

Perdi o que poderia ser o meu mais belo conto

A mais fiel expressão do meu sentir

E agora como poderei ter esta certeza?

Como saber que tom teria, seus sons

Ou com que graça expressaria meu constante instinto de

Impressionar teus olhos e tua alma?!

Perdoe-me por isso,

Também devo fazê-lo a mim.

(...)


Bem, tendo aceito este fato

Sigo entre outros relatos e palavras e causos...

Entretanto, por algum motivo

Sinto que estou sendo vigiada

Por estas mesmas palavras que esqueci.

(...)



Sábio-louco


Só os loucos se expõem: suas fragilidades em carne viva,

Suas verdades sentidas,

Seus medos à flor da pele,

Almas contraditórias exalando de seus poros.

Brincam de se molhar em todas as chuvas possíveis.


Os polidos sábios e normais são comportados.

Abrigam-se da chuva, de suas emoções. Sabem convictamente de si mesmos.

Maduros, herdarão os primeiros assentos nos céus.

Digo logo: me assentarei com os estranhos.

Por algum motivo, gosto das chuvas, embora faça um tempo que não me molhe...

( -dualidade em mim).


...


Priscila Aline da Silva nascida em junho de 1989, Recifense, casada, mãe, metida a escritora, apaixonada por Clarice Lispector e um tantinho de café, e ainda assim não definida por tais descrições. Estou construindo quem sou à medida que escrevo sobre isso. Perfil no Instagram @prisilva3.1




...


Para publicar seus poemas, fale comigo.


[ Regras ] Os interessados deverão enviar os poemas para giovanimiguez@gmail.com seguindo as seguintes orientações: 1. enviar, em arquivo word, até três poemas de no máximo 15 versos cada. 2. no final dos uma biografia de até 5 linhas, informando o seu perfil no instagram. 3. anexar ao e-mail uma foto do poeta na horizontal. 4. deve constar no assunto do e-mail nome do poeta no seguinte formato: "Umanisté blog - Submissão de poemas - Nome do Poeta".

17 visualizações