Um pouco de claridade

Minhas esperanças empoeiradas acumulam-se sobre minhas aflições. Não sei mais quem sou ou onde estou. Vivo cheio de infindáveis suposições sobre essas as tantas caminhadas desta minha vida que estagnou. O mundo deu tantas voltas, por todo o lado há tantas revoltas, tanta gente sem rumo neste mundo sem prumo. Parece que estamos no escuro tentando nos equilibrar neste muro que nos divide entre dois territórios que nada mais são que sanatórios. É preciso espanar a poeira que nos envolve com tanta loucura, esta névoa densa e obscura. Não podemos mais permitir essa caminhada às escuras. Não podemos mais nos omitir e negar claridade e cura. (09.04.2020)


2 visualizações